Propriedades dos minerais – Brilho

2. Brilho

O brilho é uma característica que depende da qualidade de luz que a superfície do mineral pode refletir.

Normalmente a designação do brilho de um mineral é atribuída por comparação com substâncias conhecidas. No entanto, existem duas categorias principais: brilho metálico e brilho não metálico.

Minerais com brilho metálico:

Pirite (esquerda) e Galena (direita). Dois minerais com brilho metálico.
Fotos: R. Weller/Cochise College



Minerais com brilho não metálico:

O brilho dos minerais que não têm brilho metálico é avaliado por comparação com outros materiais conhecidos. Assim, o brilho não metálico pode ainda ser subdividido em várias subcategorias:

  • vítreo (ou adamantino), – ex: quartzo
  • sedoso ou acetinado (semelhante ao da seda), ex: minerais com fibras finas, como o gesso fibroso ou o olho de tigre;
  • resinoso (semelhante à resina), ex: berilo
  • nacarado (semelhante ao das pérolas), ex: moscovite, biotite, lepidolite
  • ceroso (semelhante à cera das velas), ex: talco, jade
  • gorduroso (como uma mancha de gordura), ex: sal gema
  • mate ou terroso (quando não tem qualquer tipo de brilho) ex: caulinite, pirolusite

Para determinar o brilho de um mineral devemos fazê-lo à luz do dia, em superfícies planas, não oxidadas e limpas.

É importante salientar que a determinação do brilho não metálico não é fácil e pode ser muito subjetivo. As amostras devem estar muito bem limpas e muitas vezes o mesmo mineral pode apresentar alguma variação de amostra para amostra.

Voltar para Propriedades dos Minerais